Na Caverna Celeste

Na caverna celeste cantam
Quimeras feitas de desejo,
Cantam guturais e estridentes
Monstros apanhados pelo sonho…
Todos eles eu vi sob as estrelas,

Quando um cristalino cometa veio,
Nosso céu rasgando ao meio.
—Mas eu durmo junto ao vento,
Farfalhando pensamentos.

De um plano a outro eu voo
Estreito em paredes de concha
Que só o horizonte encontra—

Enfim deitei a cabeça às estrelas,
E canto o sonho que te deseja.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s