Via Láctea

as noites abrefecham em tuas pálpebras,
nossa hora entre o nada e a eternidade:
nessa concha cabe o oceano inteiro,
mas goteja única gota contra a sede—
mudando nosso pó em maleável argila,
queimamos os corpos no forno da vida:
na prece da matéria nossos dedos se unem,
divino sopro fomenta o fogo, viramos vapor,
dissolvidos pela galáxia—instante sem fim,
fosse o nosso Universo inteiro Amor

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s